Segunda, 17 de dezembro de 2018
Contato:(75) 9 8834-6881 E-mail itaberabaemfoco@gmail.com

27º

Min 18º Max 30º

Claro

Itaberaba - BA

às 17:40
Bahia

17/10/2018 ás 15h14 - atualizada em 18/10/2018 ás 17h48

Itaberaba em Foco

Itaberaba / BA

Presidente do Partido Verde da Bahia, visita Ministério do Meio Ambiente para discutir a revitalização do Rio Paraguaçu.
O fenômeno das Baronesas atinge toda a extensão do rio pela Bahia, prejudicando as cidades ribeirinhas e alertando para a poluição.
Presidente do Partido Verde da Bahia, visita Ministério do Meio Ambiente para discutir a revitalização do Rio Paraguaçu.

Nesta quarta-feira (17), o presidente do Partido Verde (PV-Ba), Ivanilson Gomes, esteve em Brasília, no Ministério do Meio Ambiente (MMA), para tratar do problema ambiental que atinge a bacia do Rio Paraguaçu, o fenômeno das baronesas.


Em conversa com o coordenador-geral do Departamento de Revitalização de Bacias Hidrográficas e Acesso à Água (DRBA), Henrique Veiga, foram discutidas medidas que podem dar celeridade ao processo de recuperação do rio.


A planta, que também é conhecida por aguapé e rainha-dos-lagos, se alimenta da matéria orgânica dos esgotos despejados e ajudam a filtrar as impurezas que chegam às águas do rio. Entretanto, quando morrem, acontece o efeito contrário e surgem vários transtornos, como o mau cheiro. O Rio Paraguaçu possui 600 quilômetros de extensão e as baronesas são consideradas um alerta para os dejetos das cidades que estão sendo derramados no curso de água.Segundo Ivanilson Gomes, além da conversa com membros do MMA, outra reunião será marcada com a superintendência do IBAMA, para enviar técnicos ao rio para fazer um diagnóstico e desenvolver soluções mais rápidas para o processo de recuperação da bacia. O presidente do PV salienta que essa deve ser uma ação em conjunto com o governo do estado, dos municípios ribeirinhos, do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Paraguaçu e também de toda a comunidade. 


Na cidade de Iaçu (235 km de Salvador), por exemplo, 63% do esgoto não tem coleta nem tratamento e, apesar da coleta de 23%, o esgoto ainda não é tratado, sendo despejado nas águas do Rio Paraguaçu. “É necessário também, por parte do poder municipal, criar uma estação de tratamento de esgoto. Isso de fundamental importância para salvar o rio Paraguaçu, que é um bem tão precioso e histórico de toda a Bahia”, comenta Gomes.

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium