Sexta, 22 de setembro de 201722/9/2017
(75) 9 9911-5583
Banner topo
ITABERABA
Itaberaba poderá estabelecer medidas preventivas e orientadoras a inibir qualquer forma de violência contra os professores da rede municipal de ensino.
Com o objetivo de proteger os professores da rede municipal de ensino em Itaberaba, o Vereador Bodinho Neto, apresentou ao plenário na sessão da Câmara de Vereadores, indicação ao Prefeito Ricardo Mascarenhas para que crie, através de PROJETO LEI (com redação pronta) que: “Estabelece medidas preventivas e orientadoras destinadas a inibir qualquer forma de violência contra professores da Rede Municipal de Ensino”. 
Itaberaba em Foco Itaberaba - BA
Postada em 04/09/2017 ás 09h13 - atualizada em 05/09/2017 ás 00h18
Itaberaba poderá estabelecer medidas preventivas e orientadoras a inibir qualquer forma de violência contra os professores da rede municipal de ensino.

 Em plena época de discussão do Plano Nacional de Educação, a segurança dos professores é tema primordial, aumenta os casos de agressão verbal e física contra os professores no Brasil. Em estudos da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), grupo que agrega 34 economias avançadas ou emergentes, o Brasil desponta como um dos países mais hostis para professores de escolas públicas. 


Segundo a pesquisa Um Olhar sobre a Educação 2016, que compara a situação da educação em 45 países, professores brasileiros dos ensinos médio e fundamental recebem menos da metade do que a média dos países membros da OCDE. 


O salário médio da categoria no Brasil é de US$ 12,3 mil ao ano (R$ 38,6 mil), valor também inferior ao de outras nações latino-americanas como Chile, Colômbia e México. Além disso, professores brasileiros são, entre todos os países do estudo, os que trabalham mais semanas ao ano. No Brasil, eles lecionam em média 42 semanas anuais, enquanto a média da OCDE são 40 semanas no pré-primário e 37 nos cursos técnicos.  



 Segundo pesquisa da OCDE, 12,5% dos professores brasileiros disseram sofrer violência verbal ou intimidação de alunos, pelo menos uma vez por semana. O Brasil ocupa a primeira posição no ranking. Em segundo lugar aparece a Estônia com 11%, seguida pela Austrália com 9,7%. A pesquisa foi realizada em 34 países, com a participação de 100 mil professores e diretores dos ensinos fundamental e médio. Outra pesquisa mostra que mais de 22,6 mil professores foram ameaçados por estudantes e mais de 4,7 mil sofreram atentados à vida nas escolas. Os dados são do questionário da Prova Brasil 2015, aplicado a diretores, alunos e docentes do 5º e do 9º ano do ensino fundamental de todo o país. A violência também ocorre entre estudantes: 71% dos mestres presenciaram agressões verbais ou físicas entre eles.


Com o objetivo de proteger os professores da rede municipal de ensino em Itaberaba, o Vereador Bodinho Neto, apresentou ao plenário na sessão da Câmara de Vereadores, indicação ao Prefeito Ricardo Mascarenhas para que crie, através de PROJETO LEI (com redação pronta) que: “Estabelece medidas preventivas e orientadoras destinadas a inibir qualquer forma de violência contra professores da Rede Municipal de Ensino”. 



Sobre o tema proposto, o Parlamentar disse o seguinte: 


Bodinho Neto - A questão da violência contra os professores assume, na atualidade, uma roupagem dramática porque que os coloca em situações limite, já que configura mais uma das violências a que estão expostos, cotidianamente, somada à dificuldade de acesso aos locais de trabalho, baixa qualidade do ambiente de trabalho, burnout (estado de tensão emocional e estresse crônico provocado por condições de trabalho físicas e psicológicas desgastantes), baixos salários, problemas com material didático, problemas com infraestrutura, entre outros, expõe o quadro agudo a que está submetido uma categoria inteira. Diante disso, é demais pedir aos educadores que, mais uma vez, enquanto diversos outros setores conquistam seus pleitos, esperem por uma solução que pode durar anos.  


     É necessário se trabalhar a autoestima e a cidadania dentro das escolas, resgatando a boa convivência, envolvendo a comunidade na busca de soluções de seus conflitos e fazendo da escola um local prazeroso, que prepare o aluno para o futuro.   


    Tendo em vista os recentes casos de violência contra docentes nas escolas brasileiras, noticiados pela imprensa do Brasil, causando repercussão nacional, não a dúvida que o Chefe do Poder Executivo, apresentará este Projeto de Lei, que serve como mais um instrumento de segurança aos professores da rede de ensino municipal. Cabe lembrar que o impacto da violência contra os docentes afeta diretamente os alunos, seja do ponto de vista psicológico, pela exposição direta aos casos de agressão, seja pelas aulas que perdem, ou mesmo pela diminuição da qualidade do ensino provocada pelos reflexos da violência na saúde integral do docente.  

FONTE: Assessoria
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

500 caracteres restantes

  • COMENTAR
    • Prove que você não é um robô:

imprimir
670
© Copyright 2017 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium