Sexta, 22 de setembro de 201722/9/2017
(75) 9 9911-5583
Banner topo
GERAL
Era tudo mentira! Estudo aponta que não houve diminuição da desigualdade no Brasil entre 2001 e 2015
O resultado vai na contramão de indicadores como o índice de Gini, segundo o qual houve uma melhora do cenário no Brasil, atribuída às políticas de redistribuição de renda dos governos do PT, como o Bolsa Família, e à política de valorização do salário mínimo, cujo valor real aumentou cerca de 50%.
Itaberaba em Foco Itaberaba - BA
Postada em 09/09/2017 ás 22h15 - atualizada em 10/09/2017 ás 21h46
Era tudo mentira! Estudo aponta que não houve diminuição da desigualdade no Brasil entre 2001 e 2015

Um estudo feito pelo World Wealth and Income Database mostra que não houve diminuição da desigualde de renda no Brasil entre 2001 e 2015. Ao contrário, a discrepância entre ricos e pobres continua em níveis "chocantes".


Segundo a pesquisa, os 10% mais ricos da população aumentaram sua fatia na renda nacional de 54% para 55%, enquanto os 50% mais pobres ampliaram sua participação de 11% para 12%. O crescimento se deu em razão de uma queda na participação de dois pontos percentuais dos 40% que estão entre os dois extremos (de 34% para 32%). Os 10% mais ricos do país ficaram com 61% da expansão observada entre 2001 e 2015, enquanto metade mais pobre da população foi beneficiada com apenas 18% desses ganhos.


O estudo do World Wealth and Income Database leva em conta dados da Receita Federal e das contas nacionais para estabelecer o cálculo. O resultado vai na contramão de indicadores como o índice de Gini, segundo o qual houve uma melhora do cenário no Brasil, atribuída às políticas de redistribuição de renda dos governos do PT, como o Bolsa Família, e à política de valorização do salário mínimo, cujo valor real aumentou cerca de 50%.


O PT, partido que esteve à frente do país na maior parte do período do levantamento, acredita que o estudo subestima a redistribuição de renda no período, já que o Imposto de Renda não é um bom indicador da renda população mais pobre, haja vista que boa parte desse grupo nem sequer declara renda. 

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

500 caracteres restantes

  • COMENTAR
    • Prove que você não é um robô:

imprimir
373
© Copyright 2017 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium