Jaques Wagner

Jaques Wagner não será candidato, diz revista.

Para não correr o risco de ser preso, o petista deve lutar para reeleger o seu sucessor e desta forma seguir secretário.

08/03/2018 18h52Atualizado há 1 ano
Por: Itaberaba em Foco

Com a operação Cartão Vermelho, deflagrada pela Polícia Federal, em 26 de fevereiro, que investiga o suposto superfaturamento nas obras da Arena Fonte Nova, os planos do petista desmoronaram.

A PF chegou a pedir a prisão do Wagner, mas o Tribunal Regional Federal da 1ª região decidiu por não conceder inicialmente.

7 de abril é o prazo limite para que os interessados em concorrer ao pleito em 2018, deixem seu cargos, nessa data Jaques Wagner teria que deixar a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico da Bahia, e desta forma ficar sem foro, o que faria as investigações contra ele, irem parar nas mãos do juiz de primeiro grau, Sérgio Moro.

Segundo a revista Veja, uma tempestade se aproxima do carioca, naturalizado baiano, o petista pode ter que encarar os desdobramentos de delação premiada do empreiteiro Leo Pinheiro, ex-presidente da OAS, e os desdobramentos do caso Dalva Sele, que explodiu na Bahia na véspera da eleição de 2014.

Para não correr o risco de ser preso, o petista deve lutar para reeleger o seu sucessor e desta forma seguir secretário.

Wagner nega as acusações afirmando que não houve nenhuma irregularidade na construção do estádio.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Últimas notícias
Mais lidas