Sexo é vida

Pesquisa revela que fazer sexo reduz risco de morte após ataque cardíaco.

O estudo foi feito por investigadores do Colégio Universitário de Londres.

07/08/2019 13h42
Por: Itaberaba em Foco

Os investigadores do Colégio Universitário de Londres revelaram que os sobreviventes de ataques cardíacos que têm vidas sexuais ativas têm menos probabilidade de morrer nas décadas seguintes do que os sobreviventes que são mais celibatários.

O estudo foi conduzido com recurso a um universo de 1.120 homens e mulheres que tiveram ataques cardíacos até aos 65 anos e com um intervalo de tempo de 22 anos. Durante o período de duração do estudo, diz o Mirror, morreram 524 integrantes do mesmo.

A investigação permitiu revelar que, comparativamente às pessoas que não fizeram sexo uma única vez no ano que precedeu o ataque cardíaco, aqueles que fizeram sexo mais do que uma vez por semana apresentaram 27% menos probabilidade de morrer no período de duração da análise.

Paralelamente, aqueles que fizeram sexo uma vez por semana apresentaram 12% menos de probabilidade de morrer e aqueles que fizeram sexo com ainda menos frequência apresentaram 8% de probabilidade de morrer.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.