TRT-5 ITABERABA

Tribunal Regional do Trabalho da Bahia inaugura centros de conciliação em Feira de Santana e Itaberaba

A cerimônia será no dia 3 de março, às 13 horas, na sede da Justiça do Trabalho em Itaberaba (Av. Rio Branco, 900 - Centro).

27/02/2020 14h09
Por: Itaberaba em Foco

O Tribunal Regional do Trabalho da Bahia (TRT5-BA) vai inaugurar novos Centros de Conciliação da Justiça do Trabalho (Cejuscs) em Itaberaba e Feira de Santana, duas jurisdições que juntas respondem por 40 municípios e recebem aproximadamente 7 mil processos por ano. A ideia é fomentar a cultura da conciliação, envolvendo as partes na busca de soluções negociadas para os conflitos trabalhistas. Atualmente o TRT5-BA possui Cejusc em Salvador e Candeias.

A primeira inauguração será feita pela vice-corregedora do TRT5-BA, desembargadora Luíza Lomba, em Itaberaba, região da Chapada Diamantina, acompanhada da coordenadora do Cejusc de 1º Grau, juíza Clarissa Magaldi. A Vara local, com jurisdição bem abrangente – 22 cidades –, recebe em média 1.300 processos novos por ano, uma das maiores demandas do estado.

A cerimônia de entrega do Cejusc será no dia 3 de março, às 13 horas, na sede da Justiça do Trabalho em Itaberaba (Av. Rio Branco, 900 - Centro).

Já no dia seguinte (4/3) será a vez de Feira de Santana ganhar uma unidade do Cejusc. A presidente do TRT5-BA, desembargadora Dalila Andrade, fará a inauguração às 11horas, no Fórum José Martins Catharino, onde funcionam as seis varas do Trabalho locais. No mesmo dia, a partir das 14 horas, a presidente irá atender a população que tem processos tramitando naquela jurisdição, em mais uma edição do projeto Dia do Cidadão. A jurisdição de Feira abrange 18 municípios, e recebe em média 5.600 processos novos anualmente.

Em cada Cejusc, servidores capacitados em métodos consensuais de solução de conflitos conduzem as negociações com a supervisão dos juízes responsáveis pela unidade. Os espaços onde os encontros acontecem proporcionam um ambiente neutro, no qual os interessados em solucionar um determinado conflito têm a chance de conversar, negociar e chegar a um acordo satisfatório, com o auxílio do “conciliador”. As conciliações podem ocorrer tanto na fase pré-processual, quando ainda não existe o processo propriamente dito, quanto nas fases de conhecimento, liquidação ou execução.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Últimas notícias
Mais lidas