Educação EDUCAÇÃO

Razões para estudar medicina nas universidades da Argentina

Segundo dados da última estatística divulgada pela Secretaria de Políticas Universitárias do Ministério da Educação da Nação, de 2015, mais de 54 mil alunos matriculados nos cursos de graduação e pós-graduação eram do exterior, o que representava quase 3% do total de universitários do país.

30/08/2020 08h27 Atualizada há 3 meses
Por: Itaberaba em Foco Fonte: viveenbuenosaires.com
Razões para estudar medicina nas universidades da Argentina

Nas duas últimas décadas, a Argentina viu o número de estudantes estrangeiros nas suas universidades nacionais e privadas aumentar significativamente. Segundo dados da última estatística divulgada pela Secretaria de Políticas Universitárias do Ministério da Educação da Nação, de 2015, mais de 54 mil alunos matriculados nos cursos de graduação e pós-graduação eram do exterior, o que representava quase 3% do total de universitários do país.

No entanto, as universidades confirmam que, a cada ano, cresce o número de estrangeiros que chegam para estudar na Argentina, tanto em Buenos Aires e na região metropolitana quanto nas províncias do interior.

Nos últimos anos, a busca pelas faculdades de medicina argentinas como alternativa para as universidades brasileiras também tem chamado a atenção. Segundo matéria publicada pelo jornal La Nacion em 2018, o Ministério de Educação da Argentina informou que, de cada sete estudantes de Medicina, um era estrangeiro.

Cerca de 12 mil estudantes vindos de outros países pretendiam a carreira médica, sendo mais da metade brasileiros (6.721). As matrículas nos cursos de medicina representavam 75% entre os 8.803 brasileiros que cursavam o ensino superior na Argentina.

De fato, neste cenário promissor, para os brasileiros que decidem estudar medicina no exterior não poderia haver nação mais atraente e convidativa do que a Argentina.

Entre as muitas razões pelas quais os aspirantes à carreira médica devem considerar o país  vizinho como o melhor lugar para a graduação estão:

-  A Argentina é um dos países mais atraentes da América do Sul. Desde a independência da Espanha, em 1816, o país acolheu ondas de imigrantes europeus, principalmente da Itália e da Espanha, e se tornou um verdadeiro caldeirão cultural. É essa mistura de culturas latino-americanas e europeias que oferece uma perspectiva diferente para os estudantes que procuram expandir seus horizontes.

-  A comunicação é mais fácil, uma vez que muitos brasileiros já tiveram contato com a língua espanhola em algum momento da vida, seja através do currículo escolar ou em cursos particulares. Além disso, os grandes incentivos para estudar nas universidades do país vizinho acaba por incentivar a busca por meios de se tornar fluente no idioma espanhol.

-  O padrão da educação na Argentina é excepcional, com uma ampla gama de universidades ranqueadas entre as melhores do mundo, com faculdades de medicina reconhecidas pela comunidade científica internacional, inclusive com dois prêmios Nobel na área de ciências médicas.

-  Todas as universidades de ensino superior da Argentina, públicas e privadas, seguem o modelo educacional ocidental e são avaliadas pela Comisión Nacional de Evaluación y Acreditación Universitaria (CONEAU), um organismo controlado e administrado pelo Ministério da Educação da Nação.

-  Na Argentina, as universidades nacionais financiadas pelo Estado não cobram nenhum valor de educação para os estudos de graduação, inclusive em medicina. As Universidades particulares cobram um valor de mensalidade; no entanto, esse custo educacional é muito mais baixo do que no Brasil. O preço máximo para uma faculdade de medicina argentina não chega a ser superior a R$ 2.500, sendo que existem algumas brasileiras que podem chegar a mais de R$ 12 mil por mês.

-  Se comparado com um intercâmbio para estudar em nações da América do Norte e da Europa, o custo de vida na Argentina para estudantes estrangeiros é imensamente menor.

-  A moderna capital Buenos Aires ajuda os estudantes a se integrarem à diversidade da cultura local, seja através dos costumes, dos monumentos, da gastronomia, do tango ou de outras inúmeras referências espalhadas pela cidade.

-  Já os que buscam harmonia e isolamento longe da intensidade da cidade grande podem encontrar oportunidades incríveis de moradia no interior do país, com opções de instituições de ensino superior renomadas.

-  A Argentina oferece qualidade de vida e segurança. Tanto na capital Buenos Aires quanto no interior das províncias, os estudantes convivem em um ambiente tranquilo, dentro e fora das universidades.

-  Sobre os requisitos para o ingresso acadêmico, na Argentina as universidades são abertas a todos os estudantes, inclusive os estrangeiros, sem exame vestibular. Cada instituição tem o seu próprio processo de nivelamento dos alunos, que geralmente se resume a um período de estudo inicial antes das aulas normais. Na Universidade de Buenos Aires (UBA), por exemplo, o primeiro ano dos alunos é dedicado ao Ciclo Básico Comum (CBC). Já na Universidade Nacional de Rosário (UNR) os estudantes passam pelo Módulo de Inclusão Universitária (MIU), com duração menor.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.